Mirtazapina Seu paciente idoso tem anemia, será que é a anemia inexplicada do idoso?Mirtazapina

Seu paciente idoso tem anemia, será que é a anemia inexplicada do idoso?

         O paciente idoso pode apresentar um quadro de anemia inexplicada(anemia de origem desconhecida, AOD), mas antes de rotulá-lo assim precisamos ter alguns cuidados:

Quais os principais diagnósticos diferenciais de anemias no idoso?

         Devemos afastar patologias que cursam comumente com anemia nesta faixa etária, seriam elas: deficiência de ferro, anemia de doença crônica, anemia de doença renal e anemia de deficiência de vitamina B12 e/ou ácido fólico, vide o Tabela 1  abaixo:

Tabela 1.Causa comuns de anemia no idoso

Causas de anemiaincidência
Deficiência de ferro20%
Anemia de doença crônica ou inflamação15-35%
Anemia de doença renal crônica<10%
Deficiência de folato ou B1210%
Anemia de causa inexplicada< 30%

O que deve ser feito antes de estabelecer o diagnóstico de AOD?

Antes de definir um diagnóstico de AOD, devemos perseguir outras causas séries de anemia e /ou doenças de base outras tratáveis, que incluem a da tabela 1 acima, perda de sangue e  malignidades hematológicas ou não hematológicas. 

         Neste ínterim ajuda na identificação a classificação através das anormalidades comumente encontradas por cada tipo de anemia como está na tabela abaixo:

Tabela2.Achados  laboratoriais   nas anemias 

          ADF- anemia de deficiência de ferro; AI/ADC anemia de inflamação/anemia de doneça crônica; DRC doença renal crônica; b12/fol  deficiência de B12 ou ácido fólico; MDS mielodisplasia; Desnu desnutrição e AOD anemia de origem desconhecida; AMM ácido metilmalônico;RC Resposta Comprometida;MO medula óssea ; Misc – miscelâneas

Quando devemos suspeitar?

         Para os 30-35% dos indivíduos que não se enquadram nas classificações das outras anemias o diagnóstico de  anemia de origem desconhecida(AOD) pode ser realizado

A definição de anemia de origem desconhecida pode ser definida como?

A definição de AOD pode assim ser descrita:

         Anemia leve, hipoproliferativa, com valores entre 10-12 g /dl de Hg, normocítica, que não se enquadra em outra subclassificação de anemia 

Anemia de causa desconhecida é um diagnóstico de exclusão

Quais exames hematológicos devemos pedir?

         Devemos solicitar hemograma completo com contagem de   reticulócitos e os índices hematimétricos, cinética do ferro(ferro sérico, ferritina, capacidade de fixação do ferro, índice de saturação da transferrina), dosagem de vitamina B12, dosagem de ácido fólico, albumina, proteína sérica total, creatinina, VSH e PCR.

Quando referenciar ao hematologista?

Indivíduos com achados displásicos no sangue periférico, outras citopenias ou achados de macrocitose associada a AOD, devem ser referenciados ao hematologista.

Qual o nível que não devo considerar como anemia de origem desconhecida?

         Níveis de hemoglobina abaixo de 7d/dL não devem ser classificados como AOD, devem ser exaustivamente investigados com exames descritos acima, além dos endoscópicos(endoscopia digestiva e/ou colonoscopia).

Devo tratar?

         Os trabalhos atuais apontam que qualquer nível de anemia está associado a morbidade no idoso, deveríamos tratar então.

Qual o tratamento?

         Não existe protocolo ou guideline específico para este tipo de pacientes, existe tratamento promissores com a reposição de testosterona, quando cabível, por 12 meses, repondo-se a testosterona  para mantê-la nos níveis normais,  com recuperação de  até 1 ponto na hemoglobina, bem com existem trabalhos com reposição de eritropoetina, mas nenhum guideline específico.

Opinião do especialista em Geriatria

         São pontos importantes o diagnóstico de exclusão e o tratamento nos pacientes com níveis baixos de testosterona e AOD.

         Caso a caso o tratamento poderá ser individualizado com uso de concentrados de hemácias ou de eritropoetina, preferencialmente quando indicado por sintomas de anemia e preferencialmente com coacompanhamento do hematologista.

Referências

Ershler, MD. Unexplained Anemia in the Elderly William B.Clin Geriatr Med 35 (2019) 295–305

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Contact Us