Expectativa de vida no idoso – Oncogeriatria

Expectativa de vida do idoso

A avaliação da expectativa de vida do idoso é fundamental para o processo decisório da terapia oncológica. A questão principal é: será que o idoso à minha frente viverá para se beneficiar do tratamento oncológico estudado para seu tipo de câncer?

👉É de conhecimento geral que a população mundial está envelhecendo. Em levantamento feito pela Help Age International, em 2030 haverá mais idosos do que crianças abaixo dos 15 anos no mundo. Segundo dados do IBGE em 2017, a expectativa de vida ao nascer é, em média, de 76 anos em nosso país. No entanto, pode ser bastante desafiador estimar a expectativa de vida de um indivíduo já idoso.

👉Uma questão interessante é que, se o indivíduo atingiu o marco dos 60 anos no Brasil, ele pode viver mais 22 anos, em média. É como se o idoso já tivesse ultrapassado alguns obstáculos e “escapado de morrer jovem”, por isso, “ganha” alguns anos adicionais de sobrevida. Deve-se levar em consideração que esses são dados populacionais e que vários outros fatores interferem de modo contundente para essa estimativa em caráter individual.

👉A avaliação geriátrica, por si só, é capaz de detectar alguns desses fatores, através do inquérito de saúde global do idoso.

🔩Outra ferramenta muito usada na prática é o ePrognosis (www.eprognosis.ucsf.edu). Este site reúne vários questionários validados que são úteis para predizer o prognóstico individual, através de perguntas sobre sua idade, estilo de vida, comorbidades e funcionalidade. Também considera o local em que o paciente mora e se o mesmo encontra-se hospitalizado, institucionalizado ou em consultório.
👉É importante lembrar que o tratamento ofertado ao paciente deve ser sempre proporcional às suas necessidades, com o objetivo de aumentar tanto o tempo quanto a quantidade de vida

@dra.mariamagalhaes

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Siga nosso Instagram

Mais Recentes

Mais Visitados ​

Mais Comentados

Contact Us