Eletroconvulsoterapia e aplicabilidade na Geriatria.

Indicações

A eletroconvulsoterapia(ECT) é considerada hoje um procedimento seguro e eficaz e apresenta uma série de indicações:

-Paciente severamente deprimidos

-Paciente severamente psicóticos

Em algumas populações específicas a ECT pode melhorar os sintomas psicóticos, depressivos,  as taxas de suicídio e  hospitalizações, com impacto direto na morbimortalidade.

E no idoso,  como podemos aplicar?

O FDA(órgão regulador de saúde americano) reposicionou a ECT como Classe II( risco moderado , requerendo controles especiais) para o uso no tratamento de depressão severa maior unipolar, ou depressão bipolar,  ou catatonia em pessoas com 13 anos ou mais.

A desordem se apresenta como refratária ao tratamento ou requer uma resposta rápida devido a severidade das condições clínicas ou psiquiátricas.

De maneira geral o paciente indicado para ECT apresenta doença debilitante e severa e resistente a terapêutica habitualmente indicada.

A recomendação fica reforçada quando o paciente se apresenta doente com sintomas severos e com risco de vida, incluindo risco de suicídio, psicose e outras complicações de doenças(desidratação, mal nutrição, catatonia, piora da dor, descondicionamento e úlceras de pressão) que elejam o paciente a necessidade de  uma resposta rápida a terapia.

No processo de indicação se faz necessário um termo de consentimento, na impossibilidade deste, uma concordância dos familiares responsáveis acerca do beneficio do tratamento se faz necessária.

Curso do tratamento

Temos 2 fases do tratamento( tabela 1):

Fase 1-A inicial onde procuramos observar a resposta clínica ou uma remissão.Esta fase  continua até que os pacientes tenham uma resposta máxima sustentada ao tratamento ou os efeitos colaterais limitem o uso  do tratamento.

Fase 2-Após a fase 1, temos a fase  2 ou de manutenção, onde  se faz continuidade da ECT para evitar recaídas e se continua a farmacoterapia, ou uma ECT de manutenção, ou ambos.

A farmacoterapia após a ECTt pode incluir um grupo de antidepressivos  e lítio, ou outros estabilizadores do humor, bem como outras classes e de medicamentos que tenham sidos usados.

Tabela 1. Características da ECT Inicial e de Manutenção.

Fase 1-Curso inicial
Consiste em 6 a 12 tratamentos, em média; geralmente realizado 2 ou 3 vezes/semana por 2-4 semanas
-Nenhum número mínimo ou máximo definido de tratamentos
-Continuado até que o paciente tenha uma resposta sustentada máxima ou os efeitos colaterais limitem o uso adicional
-Realizado em ambiente hospitalar ou ambulatorial, dependendo da gravidade da doença ou logística
Fase 2-Tratamento de continuação ou manutenção
Segue a conclusão do curso de inicial de tratamento(Fase1)
Realizado em ambulatório
Reduzido gradualmente, com intervalos crescentes entre os tratamentos
O objetivo é fornecer o menor número de tratamentos necessários para sustentar uma resposta
Pode continuar de meses a anos (sem número máximo definido de tratamentos)

Traduzida de Espinoza R T.Eletroconvulsive Therapy, RA.NEM Feb 17,2022; 386:667-672

Segurança

A ECT tem uma mortalidade estimada de 2,1 por 100 000 tratamentos. As complicações mais frequentes são os eventos cardiovasculares agudos em menos de 1 % dos pacientes.

Antes do procedimento será interessante considerar a avaliação cardiológica em pacientes com fatores de risco ou histórico de doença cardíaca.

Eventos adversos, que são raros, podem ocorrer, tais como: Arritmias cardíacas com ou sem alteração hemodinâmica, desconforto respiratório, apneia prolongada, aspiração, paralisia prolongada e convulsões prolongadas.

Efeitos  colaterais comuns, mas menores, que podem ocorrer seriam: dor de cabeça, dor na mandíbula, mialgias, náuseas e vômitos pós procedimento e fadiga, todos autolimitados e que irão requerer apenas tratamento sintomático,.

Efeitos cognitivos

Os efeitos variam entre os pacientes e as técnicas empregadas de ECT, a maioria apresenta efeitos cognitivos leves a moderados que costumam desaparecer após alguns dias a semanas ao término curso da ECT.

A amnésia anterógrada, um dos efeitos, desaparece com 2-4 semanas. A amnésia retrógada – indivíduo apresenta lacunas de memória autobiográfica, mas não perda de conhecimento semântico- desaparece mais gradualmente por semanas a meses ou até após alguns anos.

Em alguns casos, um estado confusional agudo como delirium pode se desenvolver. A ECT não aumenta  risco de demência e não causa dano estrutural.

Conclusão

A ECT é um método de tratamento de alguns quadros psiquiátricos, principalmente os quadros graves. Pode ser aplicada   no idoso, quando indicada, de forma segura e eficaz. O estigma e a falta de acesso ao tratamento contribuem para a subutilização do método no paciente idoso.

Referência

Espinoza R T.Eletroconvulsive Therapy, RA.NEM Feb 17,2022; 386:667-672

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Siga nosso Instagram

Mais Recentes

Mais Visitados ​

Mais Comentados

Contact Us